TIPOS RESÍDUOS SÓLIDOS QUE SERÃO RECICLADOS PELAS USINAS INER

Lixão (Foto: Divulgação)

Você sabia que existem diferentes tipos de Resíduos Sólidos (RS)? Neste texto explicaremos os diferentes segmentos que serão reciclados nas Usinas INER.


Os resíduos sólidos, para quem não sabe, são todos os materiais que resultam das atividades humanas e que muitas vezes podem ser aproveitados tanto para reciclagem como para sua reutilização. Ou seja, são resíduos provenientes das residências, das indústrias, dos hospitais, do comércio, de prestação de serviços, de serviços de limpeza urbana, de feiras livres ou da agricultura.


Existem diversas classificações para os resíduos sólidos, de acordo com critérios como fonte geradora, constituição e propriedades dos materiais. No entanto vamos nos concentrar na classificação por fontes geradoras para os RS. São eles:

*Resíduos Domiciliares (RD): provenientes de atividades domésticas em casas, apartamentos e em edificações residenciais. Têm conteúdo diversificado, com grande presença de matéria orgânica.


*Resíduos Animais (RA): provenientes de atividades diárias de matadouros/ frigoríficos, em propriedades rurais, vias públicas. Tais como: carcaças de animais provenientes de abatedouros ou que morrem por causas rotineiras, infecciosas ou catastróficas.

*Resíduos de Construção e Demolição (RCD): gerados pelas atividades provenientes de construções, reformas, reparos e demolições de obras de construção civil, e os resultantes da preparação e da escavação de terrenos. Tais como: tijolos, blocos cerâmicos, concreto em geral, solos, rochas, metais, resinas, colas, tintas, madeiras e compensados, forros, argamassa, gesso, telhas, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica etc., comumente chamados de entulhos de obras, caliça ou metralha.

*Resíduos Volumosos (RV): geralmente abandonados pela população em locais públicos e que apresentam grandes volumes e dificuldade de manejo. São compostos principalmente por móveis, eletrodomésticos, pneus, sucatas de veículos, etc.


*Resíduos Públicos (RP): resultantes de podas, capinação e varrição de ruas, limpeza de bueiros e praças públicas, cemitérios e aqueles provenientes de lixeiras públicas.


*Resíduos Comerciais e Institucionais (RCI): gerados em atividades comerciais e instituições públicas. Suas características dependem do tipo de atividade geradora.

*Resíduos de Serviços de Saúde (RSS): provenientes de hospitais, clínicas médicas, odontológicas e veterinárias, postos de saúde e laboratórios. Podem conter materiais infectantes e/ou tóxicos.


Como lidar com o resíduo sólido produzido

Atualmente as formas mais utilizadas para se lidar com o lixo produzido pela sociedade têm sido os lixões ou vazadouros a céu aberto, os aterros controlados, os aterros sanitários, a incineração, a reciclagem e a compostagem.


Os lixões são a forma mais inadequada de dispor os RS. Há consequências graves como contaminação do solo e da água e poluição do ar, proliferação de organismos vetores de doenças, presença de catadores em condições subumanas e degradação da paisagem natural. Menos prejudiciais do que os lixões os aterros controlados ainda são contra-indicados, pois se trata do simples enterramento dos resíduos em valas, sem maiores preocupações com danos ambientais.


Nos aterros sanitários há uma preocupação maior com a questão ambiental. Os resíduos são dispostos sobre o solo previamente impermeabilizado, compactados e cobertos com camadas de terra. Há sistemas de drenagem e tratamento de líquidos residuais e gases originados pela decomposição dos resíduos.


Já a incineração apresenta algumas vantagens como a redução do volume e do potencial poluidor dos resíduos. Além disso, pode-se utilizar a energia liberada na queima. Porém, nessa técnica ainda há pontos negativos como a emissão de material particulado, gases e cinzas tóxicos.



A reciclagem e a compostagem são as formas mais adequadas de tratamento dos resíduos sólidos e que serão utilizadas nas Usinas INER. Os processos funcionam da seguinte maneira: após uma triagem, a porção reciclável (plástico, vidro, metais ferrosos e não-ferrosos, papel, papelão, orgânicos para compostagem, produtos químicos, hospitalares, restos de animais, dentre outros;) dos resíduos são divididos e viram sub-produtos como: briquete de biomassa, adubo, corretor de solo, matéria prima para outros produtos, que são encaminhados e distribuídos para as indústrias e mercados correspondentes.


No caso da porção orgânica é enviada para pátios onde ocorre a compostagem, processo biológico e natural de decomposição que produz, a partir de matéria orgânica, um material estável conhecido como composto que pode ser aproveitado como adubo.

As Usinas INER estarão prontas para transformar em riqueza todo o lixo captado; 100% de reaproveitamento, e ainda executar toda a logística integrada e interligada entre todos os Centros de Triagem e Transbordos e Usinas de Compostagem, o recebimento, a separação e o encaminhamento e distribuição dos sub-produtos para as indústrias e mercados correspondentes.


GRUPO INER - O Grupo INER é uma empresa de capital privado, criado pela instituição social, Confederação do Elo Social, com o objetivo de contribuir na implementação da Lei 12.305/2010, que trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

O Grupo fará a gestão completa das Usinas de reciclagem do início até a entrega das chaves aos empresários e investidores. E após a entrega estará ajudando na gestão e também na manutenção das usinas em todo o Território Nacional.



Fonte artigo “Resíduos Sólidos Urbanos: noções básicas” - autor: Felipe Jordani Andrade.

Redação Ivete Klein, OMS 8666, Presidente Estadual do Elo Social Mato Grosso, Diretora Responsável pela WebMT.

62 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo