ALERTA DE VAZAMENTO DE BARRAGEM EM POCONÉ/MT PREOCUPA MORADORES PRÓXIMOS

Atualizado: 17 de Fev de 2019

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) investiga um vazamento que deixou vermelha a água do Rio Bento Gomes, em Poconé. Existe a suspeita de que seja proveniente do vazamento de uma barragem de um garimpo administrado pela mineradora Salinas Gold Mineração.


A SEMA, na terça-feira (22), recebeu a denúncia de que a coloração da água estava irregular através de rádio amador. O órgão que tem como visão de futuro o lema “Ser reconhecida pela excelência em conservação ambiental para a sustentabilidade” realizou sobrevoos, na tentativa de identificar visualmente a origem do vazamento, mas sem êxito. Por isso, enviou técnicos para coletar o material para análise laboratorial.

Foto: Sandro Nunes Vieira

Esta possibilidade de vazamento amedronta os moradores de Poconé, tendo em vista a existência de 8 barragens somente nesta região, segundo funcionários da SEMA. O gerente da Agência Nacional de Mineração (ANM), Serafim Carvalho Melo confirma que Mato Grosso possui 130 barragens, 63 cadastradas pela ANM, o restante está operando sem cadastro. Um dado alarmante é que do total de barragens, só 40% foram fiscalizadas ano passado e uma, em Poconé (a 100 km de Cuiabá), está interditada. Trata-se da empresa de mineração que está em nome de Ismael Ledovido de Arruda.

Serafim destaca a importância da qualificação específica para os servidores que atuam com barragens, e enfatiza que no Brasil a quantidade de mão de obra especializada nessa área deixa muito a desejar.


A tragédia de Mariana a três anos e a que assolou Brumadinho-MG recentemente, entre outras tantas que ainda podem acontecer no Brasil, são tragédias anunciadas.


A nação precisa acordar, observar e cobrar os direitos. Não temos só deveres, temos direitos adquiridos constitucionalmente. Direitos estes, adquiridos através dos impostos que pagamos.


O Brasil está entregue nas mãos de pessoas que só pensam em enriquecer. A briga nas campanhas políticas não são pelo desejo de administrar ou de zelar pelo social e sim para o enriquecimento próprio.


Em depoimento ao site da Federação do Elo Social de Mato Grosso, o nosso Presidente Dr. Jomateleno diz: Nossa palavra é sempre no sentido de que somos vítimas de estelionato, pois pagamos salários altos a nossos governantes para nos proteger, e eles não nos protegem. Sendo assim, tudo que aconteceu e era previsível, faz parte de um jogo de poder que não tem em nós, o povo, como o fiel da balança. Temos que reagir de acordo com o que está preconizado em nossa CF e leis que a protegem. Este incidente era previsível. Pagamos salários para técnicos evita-lo. Se pagamos, e não o fazem, está aí o estelionato. A improbidade administrativa e a indenização por perdas e danos. Esta é a nossa postura. E isto e um procedimento nacional. Esta é a posição da Confederação do Elo Social CESB.


Sim, temos que concordar com esta palavra. É um despropósito o que o governo faz em relação ao nosso povo e ao imposto pago.



Fonte: https://www.rdnews.com.br/cidades/conteudos/110249

Por: Lordes Moreira, Celia Monteiro e Cleiri Maria Sousa Revisão: Ivete Klein

110 visualizações0 comentário